O meu cão parou de respirar e agora?

Nídia Teiga Cães, Saúde

Com o passar dos anos, os cães foram ganhando a sua importância no lar das pessoas passando mesmo a ser tratados como autênticos membros da casa e da família. Há ainda quem os trate como filhos, porque nunca teve um filho e deposita toda a energia e amor no animal.

Com o passar dos anos, os cães foram ganhando a sua importância no lar das pessoas passando mesmo a ser tratados como autênticos membros da casa e da família. Há ainda quem os trate como filhos, porque nunca teve um filho e deposita toda a energia e amor no animal.

Os cães, assim como os outros animais de estimação, necessitam de uma atenção diária, de exercício, de cuidados com a saúde, entre outros. Todos estes cuidados levam a que o cão se sinta menos stressado o que por sua vez faz com que a saúde mental se mantenha equilibrada.

Alguns donos têm receio de não perceberem alguns sintomas de alguma urgência ou doença que o cão possa ter, como por exemplo uma indigestão, uma torção do estômago, febre, constipação, obstipação, entre outros.

No entanto existe um problema que afeta mais um tipo de cães, os cães braquicefálicos, e esse problema passa pela respiração. Devido ao seu focinho achatado, os cães como os pugs, bulldgos e boxers desenvolvem mais problemas a nível respiratório e a probabilidade de ocorrem urgências nesta área é maior.

Paragem respiratória

Este é um problema possível de acontecer, como já dissemos com maior probabilidade em raças de braquicefálicos, mas também noutros cães, pelo que todos os donos deverão saber como atuar caso este tipo de episódio aconteça. ´

A primeira coisa a fazer é avisar o veterinário que vai a caminho da clinica. Mas durante este processo o dono poderá fazer alguns primeiros socorros que iremos indicar. O primeiro será tentar perceber se existe algum som cardíaco e caso não encontre deverá deitar o animal para o lado direito, manter a boca do mesmo fechada e soprar para dentro do focinho, tal como se estivesse a fazer respiração boca-a-boca. O segundo passo será a massagem cardíaca que deve ser feita atrás do cotovelo do cão. Os cálculos serão: um sopro a cada 5 compressões.

Caso o cão volte a respirar não desista de ir até à clínica ou hospital. É importante perceber qual o motivo.

Fotografia: tomaszbaranowski007 Hair hair hair via photopin (license)

Apaixonada por animais e o seu melhor amigo é o Dallas, um Boxer muito querido e louco para a brincadeira.

Blogger e Community Manager da Love Pet Food. Licenciada em Economia na Nova School of Business and Economics e mestre em Marketing pelo ISCTE Business School.

Join thousands of pet lovers and get our weekly pawsome newsletter

Every week we send out our newsletter so you don't miss out on our tips, news and all things funny about our four legged friends.