Parasitas de inverno e os seus perigos

Nídia Teiga Doenças e Parasitas, Saúde 0 Comments

Fonte: Thomas Hawk

A existência de pulgas, parasitas e ácaros ocorre com maior frequência no verão não querendo dizer que no inverno possamos descansar relativamente a este assunto. O único que podemos ficar mais descansados é o mosquito da Leishmaniose, uma vez que apenas se mantém ativo em temperaturas superiores a 15 ºC.

Estes parasitas externos têm algumas características próprias:

  • Ácaros – afetam diferentes partes do corpo e poderão instalar-se nos ouvidos, o que pode provocar otites, ou noutros locais causando um tipo diferente de sarna que pode desencadear outras doenças graves. Os ácaros causam ainda perda de pelo, irritação da pele e crostas.
  • Pulgas – como sabemos é sempre mais comum encontrá-las em locais mais húmidos. Depois de estarem nos animais poderão também instalar-se em tecidos de casa e infetar os humanos. São perigosas porque sugam o sangue do animal e transmitem muitas doenças, podendo inclusive causar uma reação alérgica.
  • Carraças – Estes parasitas alimentam-se do sangue dos animais e normalmente podemos encontrá-los na zona da cabeça e do pescoço. Tal como as pulgas poderão transmitir várias doenças. A sua remoção deve ser feita com muita precaução e caso não saiba peça ajuda a um veterinário.
  • Moscas – Parece parvo, mas a verdade é esta, as moscas podem ser um perigo para o animal, uma vez que as suas larvas produzem uma doença, a miíase que afeta os tecidos e provoca graves lesões na pele e infeções.

Prevenção

A prevenção passa pela utilização de um bom desparasitante que deverá ser recomendado pelo seu veterinário, pois como já vimos estes parasitas externos poderão causar no animal diferentes problemas, desde um subtil desconforto até uma doença grave.

Existem várias formas de proteger:

  • Coleiras que deverão ser trocadas de acordo com a marca e o recomendado;
  • Comprimidos orais, onde normalmente a sua toma é de 3 em 3 meses.
  • Pipetas que deverão ser aplicadas na pele do animal e têm um prazo de aproximadamente um mês.

A escolha do tipo de desparasitante será acordado entre si e o seu veterinário assim como as doses ou duração.

Qual o método que utilizam? Alguma vez tiveram de trocar?

Fotografia: Thomas Hawk Did You Say Treat? via photopin (license)

Apaixonada por animais e o seu melhor amigo é o Dallas, um Boxer muito querido e louco para a brincadeira.Blogger e Community Manager da Love Pet Food. Licenciada em Economia na Nova School of Business and Economics e mestre em Marketing pelo ISCTE Business School.

Junte-se a milhares de pet lovers e receba a nossa newsletter patuda.

Todas as semanas enviamos a nossa newsletter cheia de dicas, notícias e videos divertidos. Não perca nada e subscreva!